Ninguém é tão grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar. Esopo

SÉRIES INICIAIS – História do Brasil Colônia, a história do descobrimento do Brasil, os primeiros contatos entre portugueses e índios, o escambo, a exploração do pau-brasil

Siga nossas Redes Sociais

Descobrimento do Brasil – História do Brasil

História do Brasil Colônia, a história do descobrimento do Brasil, os primeiros contatos entre portugueses e índios, o escambo, a exploração do pau-brasil


História do Descobrimento do Brasil

Em 22 de abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles acreditavam tratar-se de um grande monte, e chamaram-no de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, foi celebrada a primeira missa no Brasil.

 

Após deixarem o local em direção à Índia, Cabral, na incerteza se a terra descoberta tratava-se de um continente ou de uma grande ilha, alterou o nome para Ilha de Vera Cruz. Após exploração realizada por outras expedições portuguesas, foi descoberto tratar-se realmente de um continente, e novamente o nome foi alterado. A nova terra passou a ser chamada de Terra de Santa Cruz. Somente depois da descoberta do pau-brasil, ocorrida no ano de 1511, nosso país passou a ser chamado pelo nome que conhecemos hoje: Brasil.

 

A descoberta do Brasil ocorreu no período das grandes navegações, quando Portugal e Espanha exploravam o oceano em busca de novas terras. Poucos anos antes da descoberta do Brasil, em 1492, Cristóvão Colombo, navegando pela  Espanha, chegou a América, fato que ampliou as expectativas dos exploradores. Diante do fato de ambos terem as mesmas ambições e com objetivo de evitar guerras pela posse das terras, Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Tordesilhas, em 1494. De acordo com este acordo, Portugal ficou com as terras recém descobertas que estavam a leste da linha imaginária (370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde), enquanto a Espanha ficou com as terras a oeste desta linha.

 

Mesmo com a descoberta das terras brasileiras, Portugal continuava empenhado no comércio com as Índias, pois as especiarias que os portugueses encontravam lá eram de grande valia para sua comercialização na Europa. As especiarias comercializadas eram: cravo, pimenta, canela, noz moscada, gengibre, porcelanas orientais, seda, etc. Enquanto realizava este lucrativo comércio, Portugal realizava no Brasil o extrativismo do pau-brasil, explorando da Mata Atlântica toneladas da valiosa madeira, cuja tinta vermelha era comercializada na Europa. Neste caso foi utilizado o escambo, ou seja, os indígenas recebiam dos portugueses algumas bugigangas (apitos, espelhos e chocalhos) e davam em troca o trabalho no corte e carregamento das toras de madeira até as caravelas.

 

Foi somente a partir de 1530, com a expedição organizada por Martin Afonso de Souza, que a coroa portuguesa começou a interessar-se pela colonização da nova terra. Isso ocorreu, pois havia um grande receio dos portugueses em perderem as novas terras para invasores que haviam ficado de fora do tratado de Tordesilhas, como, por exemplo, franceses, holandeses e ingleses. Navegadores e piratas destes povos, estavam praticando a retirada ilegal de madeira de nossas matas. A colonização seria uma das formas de ocupar e proteger o território. Para tanto, os portugueses começaram a fazer experiências com o plantio da cana-de-açúcar, visando um promissor comércio desta mercadoria na Europa.

Descobrimento do Brasil

22 de abril é a data que comemoramos o descobrimento do Brasil, pois foi nesta data, no ano de 1500, que os europeus chegaram às terras brasileiras pela primeira vez. Antes isso eles não sabiam que o Brasil existia e depois desse dia o Brasil ficou conhecido em todo o mundo.

13 caravelas lideradas por Pedro Álvarez Cabral saíram de Portugal com o destino de chegar às Índias, porém, acabaram se perdendo no caminho e encontraram sem querer um território desconhecido, cheio de pessoas que andavam nuas e não sabiam falar a mesma língua que eles. Como eles estavam indo para as Índias, acabaram batizando essas pessoas de índios.

A escolha do nome do Brasil

Inicialmente, quando viram o território, os portugueses não sabiam a grande extensão que tinha, e imaginaram que se tratava de um grande monte. Como a época estava perto da Páscoa, batizaram de Monte Pascoal. No dia 26 de abril celebraram a primeira missa no Brasil.

Depois de alguns dias, as embarcações seguiram seu caminho para a Índia, e no caminho Pedro Álvarez Cabral começou a ficar em dúvida se o território descoberto se tratava e um monte ou de uma ilha, então decidiu batizar como Ilha de Vera Cruz.

Depois de algum tempo outra expedição voltou à terra descoberta, e começaram a explorar o território. Foi ai que descobriram que não se tratava de uma ilha, mas sim se um continente enorme. Então mudaram o nome para Terra de Santa Cruz.

Em 1511 foi descoberto aqui o pau-brasil, uma árvore que é utilizada para tingir tecidos de vermelho. Essa árvore foi rapidamente exportada em grande quantidade para a Europa, e por isso os portugueses resolveram mudar o nome do nosso país de Terra de Santa Cruz para finalmente Brasil.

Colonização do Brasil

Somente em 1560 que Portugal começou a ter interesse em colonizar o Brasil. Pois existiam alguns países que estavam de olho nessa nova terra cheia de riquezas, como Holanda, França e Inglaterra. Eles começaram a invadir algumas regiões não habitadas pelos portugueses e roubar nossos produtos.

Como o Brasil é muito grande, Portugal não conseguia vigiar todo o território para impedir essas invasões, e por isso resolveu colonizar a nova terra. A primeira expedição, organizada por Martin Afonso de Souza, trouxe vários portugueses para morar no Brasil.

Eles ocuparam toda a extensão do território litorâneo brasileiro, e começaram a cultivar cana-de-açúcar, que veio a se tornar o principal produto de exportação da economia brasileira na época, sendo vendida a vários países da Europa.

Capitanias Hereditárias

Também na tentativa de manter o controle sobre todo o imenso território brasileiro para não deixar que ele seja invadido por outros países, Portugal resolveu dividir em treze territórios menores, chamados de capitanias, e mandar uma pessoa para se tornar responsável de cada capitania. Essas pessoas eram chamadas de donatários, e tinham como missão colonizar, proteger e administrar a capitania.

Quando o donatário morria, era o seu filho quem tornava-se responsável pela capitania, e por isso elas eram chamadas de capitanias hereditárias, pois o poder passava de pai para filho.

Capitanias hereditárias do Brasil:

  • Capitania do Maranhão
  • Capitania do Ceará
  • Capitania do Rio Grande
  • Capitania de Itamaracá
  • Capitania de Pernambuco
  • Capitania da Baía de Todos os Santos
  • Capitania de Ilhéus
  • Capitania de Porto Seguro
  • Capitania do Espírito Santo
  • Capitania de São Tomé
  • Capitania de São Vicente
  • Capitania de Santo Amaro
  • Capitania de Santana

Descobrimento do Brasil

HISTÓRIA DO BRASIL

  • No ano de 1500, quando Portugal e Espanha exploravam o oceano em busca de novas terras, 13 caravelas comandadas pelo fidalgo português Pedro Álvares Cabral avistaram terra na região do Monte Pascoal. Na verdade, os portugueses acreditavam que tudo era apenas um grande monte, até que Cabral suspeitou que existia uma faixa de terra também, chamando o local de Ilha de Vera Cruz. Após outras expedições portuguesas na região, foi descoberto que não se tratava de uma ilha, mas sim de uma enorme área continental, fazendo com que novamente o nome fosse alterado para Terra de Santa Cruz. Após a descoberta do pau-brasil, em 1511, a região ficou conhecida pelo nome que possui atualmente: Brasil.

Muitos críticos salientam que o emprego do termo “descobrimento” é baseado em uma visão eurocêntrica, uma vez que já existiam muitos povos indígenas habitando o Brasil. Para evitarem guerras e disputas territoriais, a fim de melhor poderem explorar as novas terras, Portugal e Espanha elaboram o Tratado de Tordesilhas, em 1494. O Tratado estabelecia que Portugal ficaria com as terras a leste da linha imaginária ( 200 milhas a oeste das ilhas de Cabo Verde) e a Espanha, com terras a oeste desta linha.
Mesmo após a descoberta de uma potencial área de exploração, Portugal ainda mantinha seu foco no comércio com as Índias, visto que as especiarias da região eram muito apreciadas. No Brasil, passaram a explorar unicamente o pau-brasil, uma árvore possuidora de uma madeira de tom avermelhado muito comercializada no velho continente. Para a exploração do pau-brasil, os portugueses usavam o trabalho indígena por meio da política do escambo: os colonizadores davam insignificantes presentes (espelhos, apitos, etc.) em troca do trabalho indígena.
A partir de 1530, após a expedição de Martin Afonso de Souza, Portugal passou a se interessar mais pelo Brasil, visto as potencialidades de exploração. Além disso, muitos piratas estrangeiros roubavam ilegalmente o pau-brasil, crescendo também a ameaça de uma ocupação estrangeira definitiva. Assim, a metrópole decidiu, de fato, colonizar o Brasil, resultando na experiência do plantio de cana-de-açúcar e do surgimento do sistema de capitanias hereditárias.

 

Descobrimento do Brasil – Resumo

Resumo sobre o Descobrimento do Brasil, primeiros contatos com os índios, contexto histórico, curiosidades

 

Contexto histórico

 

O Descobrimento do Brasil deve ser entendido dentro do contexto das Grandes Navegações e Descobrimentos Marítimos (séculos XV e XVI). Portugal e Espanha eram as nações mais poderosas do mundo e se lançaram ao mar em busca de novas terras para explorar. Usavam também o mar como rota para chegar as Índias, grande centro comercial da época, onde compravam especiarias (temperos, tecidos, joias) para revender na Europa com alta lucratividade.

 

A chegada dos portugueses ao Brasil 

 

O Descobrimento do Brasil ocorreu no dia 22 de abril de 1500. Nesta data as caravelas da esquadra portuguesa, comandada por Pedro Álvares Cabral, chegou ao litoral sul do atual estado da Bahia. Era um local que havia um monte, que foi batizado de Monte Pascoal.

No dia 24 de abril, dois dias após a chegada, ocorreu o primeiro contato entre os indígenas brasileiros que habitavam a região e os portugueses. De acordo com os relatos da Carta de Pero Vaz de Caminha foi um encontro pacífico e de estranhamento, em função da grande diferença cultural entre estes dois povos.

 

Primeiros contatos com os indígenas 

 

Cabral recebeu alguns índios em sua caravela. Logo de cara, os índios apontaram para objetos de prata e ouro. Este fato fez com que os portugueses pesassem que houvesse estes metais preciosos no Brasil. Neste contato os portugueses ofereceram água aos índios que tomaram e cuspiram, pois era água velha com gosto muito diferente da água pura e fresca que os índios tomaram. Os índios também não quiseram vinho e comida oferecidos pelos portugueses.

 

Neste contato, que foi um verdadeiro “choque de culturas”, houve estranhamento de ambos os lados. Os portugueses estranharam muito o fato dos índios andarem nus, enquanto os indígenas também estranharam as vestimentas, barbas e as caravelas dos portugueses.

 

No dia 26 de abril, foi celebrada a primeira missa no Brasil, rezada pelo Frei Henrique de Coimbra. Após a missa, a esquadra rumou em direção as Índias, em busca das especiarias. Como acreditavam que a terra descoberta se tratava de uma ilha, a nomearam de Ilha de Vera Cruz (primeiro nome do Brasil).

 

Polêmica: Descobrimento ou chegada?

 

Quando usamos o termo “Descobrimento do Brasil” parece que nossa terra não era habitada e os portugueses foram os primeiros a encontrá-la. Desta forma, desconsideramos a presença de mais de cinco milhões de indígenas, divididos em várias nações, que já habitavam o Brasil muito tempo antes da chegada dos portugueses.

 

Portanto, muitos historiadores preferem falar em “Chegada dos Portugueses ao Brasil”. Desta forma é valorizada a presença dos nativos brasileiros no território. Diante deste contexto, podemos afirmar que os portugueses descobriram o Brasil para os europeus.

 

Principal fonte histórica 

 

A principal fonte histórica sobre o Descobrimento do Brasil é um documento redigido por Pero Vaz de Caminha, o escrivão da esquadra de Cabral. A “Carta de Pero Vaz de Caminha” a D. Manuel I, rei de Portugal, conta com detalhes aspectos da viagem, a chegada ao litoral brasileiro, os índios que habitavam na região e os primeiros contatos entre os portugueses e os nativos.

 

Curiosidade:

 

– A esquadra de Cabral contou com aproximadamente 1400 homens. Eram marinheiros (maioria), técnicos em navegação, escrivão, cozinheiros, padre, ajudantes entre outros.

 

Descobrimento do Brasil

O “Descobrimento” do Brasil foi fruto do esforço intelectual e de várias expedições marítimas realizadas pelos navegadores portugueses.

Cada vez mais a expressão “descobrimento” está sendo questionada pelos estudiosos por não descrever com exatidão este fato histórico.

Resumo

O “Descobrimento” do Brasil deve, antes de tudo, ser considerado no contexto das Grandes Navegações e Descobrimentos Marítimos promovidos nos séculos XV e XVI.

Nesta época, Portugal e Espanha se lançaram ao mar em busca de novas terras e, principalmente, metais preciosos. Com isso sabemos, que anos antes dos portugueses, navegadores a serviço da coroa de Castela já teriam avistado terras no sul da América.

Devemos frisar que a expressão “descobrimento” é um termo eurocêntrico, uma vez que denota não haver habitantes nas terras encontradas pelos portugueses.

Desse modo, a expressão “Chegada dos Portugueses ao Brasil” seria mais precisa, pois reconhece a existência dos índios autóctones que foram conquistados.

VEJA TAMBÉM: As Primeiras Grandes Navegações

A Expedição

A esquadra que chegou ao Brasil era composta por experientes navegadores e bastante numerosa.

Seu objetivo principal era chegar às Índias para negociar tratados comerciais, após a bem-sucedida viagem feita por Vasco da Gama em 1498. No entanto, antes deveriam verificar as terras que existiam a oeste.

Contudo, devido às hostilidades dos povos locais, Vasco da Gama recomenda o uso da força para realização do comércio de especiarias nas Índias; daí a pujança da próxima esquadra.

As caravelas partem do rio Tejo, em Lisboa, no dia 9 de março de 1500, com mantimentos para mais de dezoito meses, treze embarcações e cerca de mil e quatrocentos homens. Tudo isso estava sob o comando do fidalgo Pedro Álvares Cabral, declaradamente com destino às Índias e com a presença de Duarte Pacheco Pereira.

Assim, em 22 de março os navegantes contornaram a Ilha de Cabo Verde de onde seguiram para oeste, atravessando o Oceano Atlântico.

Por muito tempo, acreditou-se que essas terras teriam sido descobertas casualmente. No entanto, a experiência dos navegadores revela que eles não perderiam tão facilmente. Igualmente o rumo tomado pelas embarcações prova que elas não foram desviadas por nenhuma tempestade.

A coordenação entre os navios era essencial, por isso se comunicavam por meio de disparos de canhão para que não se perdessem uns dos outros.

Outro fato curioso e pouco estudado, foi a expedição secreta de 1498, quando Pacheco Pereira, a serviço de Portugal, teria confirmado a existência das terras brasileiras.

Deste modo foram muitos os navegadores que antecederam a Pedro Álvares Cabral, entre eles Vicente Yáñez Pinzón, Diego de Lepe, João Coelho da Porta da Cruz e o já citado Duarte Pacheco Pereira.

22 de abril – O Dia do Descobrimento

“Desembarque de Pedro Álvares Cabral em Porto Seguro”, Oscar Pereira da Silva, 1922

Sem relatos de qualquer tipo de dificuldade ou imprevisto, a esquadra de Cabral cruza aproximadamente 3600 quilômetros em um mês, até encontrarem os primeiros sinais de terra.

Imediatamente após a confirmação do encontro, Gaspar de Lemos, um dos mais experiente navegadores da esquadra e comandante da naveta de mantimentos, recebeu ordens de retornar a Portugal. Ele entregaria o relato de Pero Vaz de Caminha, a famosa Carta, ao rei Dom Manoel sobre o achamento do Brasil.

Chegando ao litoral sul do que viria a ser o Estado da Bahia, as caravelas da esquadra portuguesa avistaram um monte, o qual foi batizado de Monte Pascoal.

Nessa data, 22 de abril, somente uma pequena incursão da frota aportaria no litoral, local que ficou conhecido como Porto Seguro.

VEJA TAMBÉM: Carta de Pero Vaz de Caminha

O Encontro com os Nativos

Somente dois dias após a chegada, é que os portugueses travaram conhecimento com os indígenas que habitavam a região. Cabral, então, embarcou alguns indígenas em sua caravela.

O litoral baiano era ocupado pelos índios Tupinambás e os Tupiniquins, enquanto mais para o interior viviam os Aimorés.

Na caravela, os índios experimentaram – e não gostaram – os alimentos dos portugueses e se espantaram com os animais, como as galinhas, que esses traziam nos navios.

Segundo Pero Vaz Caminha, contudo, ao verem objetos de prata e ouro, os indígenas deram a entender que conheciam e apontaram para a terra. Os portugueses entenderam com este gesto que eles possuíam aqueles metais, o que não foi confirmado pelas prospecções.

O estranhamento também viera dos portugueses, os quais não compreendiam o fato dos índios andarem nus. Igualmente, ao não encontrarem estátuas representando deuses, concluíram que aqueles indígenas não tinham religião.

De Ilha de Vera Cruz para Brasil

“Primeira Missa no Brasil”, Victor Meirelles, 1859-1861

Mais adiante, no dia 26 de abril, foi solenizada a primeira missa em solo brasileiro, realizada por Frei Henrique de Coimbra.

Após rezar a missa e renovar os suprimentos da esquadra, Pedro Álvares Cabral rumou para as Índias. Como acreditavam que a terra descoberta não passava de uma ilha, nomeou-a Ilha de Vera Cruz, o qual logo foi substituído por Terra de Santa Cruz, pois os navegantes perceberam se tratar de um continente.

Por fim, decidiram chamá-la de Brasil em 1511, devido a grande quantidade de árvores de pau-brasil na região. Mesmo assim, alguns autores europeus referiam-se às novas terras como “terra dos papagaios” pela grande quantidade desses pássaros encontrada na região.

Apesar do achamento e do relato feito ao rei, a Coroa portuguesa tinha outras prioridades e não mandou nenhuma expedição para ocupar as terras encontradas. Somente negociavam com os índios em troca do pau-brasil.

A notícia da riqueza das novas terras atraiu o interesse de franceses, holandeses e ingleses, quais a Coroa portuguesa não tinha nenhum tratado como o de Tordesilhas.

Por isso, a partir de 1530, uma expedição foi organizada pelo experiente e rico Martim Afonso de Souza, a fim de ocupar as novas terras.

VEJA TAMBÉM: Brasil Colônia

Curiosidades

  • O “Descobrimento do Brasil é referência na cultura principalmente a partir do século XIX quando houve uma preocupação em escrever a história do Brasil.
  • A banda de rock Legião Urbana batizou o seu sexto álbum com o nome de “O Descobrimento do Brasil” ainda que nenhuma canção faça menção ao fato histórico.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.